Cravo

Um cano, uma flor – um cravo;
onde das pétalas emanava coragem,
vermelho-vivo amargurado;
como rainha, coroada
de música e desengano;
de caule tão fino,
e tão fino tal,
que era apenas o final.
Que bela flor que traziam,
tais canos de espingarda
nesse dia ao fim de tarde,
a nossa mais bela flor – liberdade.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: